Camisetas Femininas Ecologicas em Devorê

insta-seguir2

Coruja Buraqueira [Speotyto cunicularia]

Ouça seu canto








Tamanho: 23cm Idenficação: única por seus hábitos mais diurnos que noturnos e pela sua coloração marrom com uma região branca na garganta e manchas escuras por boa parte do corpo. É seguramente a coruja mais avistada na maior parte do país, não só por ser realmente comum, mas principalmente por seus hábitos diurnos. Costuma construir suas tocas, que servem tanto de abrigos quanto como ninhos, em locais planos e abertos, como gramados e campos de futebol. Apesar de procurar buracos abandonados, como os de tatu, a coruja também pode cavar com o auxílio dos pés e do bico, ficando até mesmo toda suja na construção da toca. Essas tocas são normalmente ocupadas por um casal. Possui uma distribuição geográfica muito ampla, indo do Chile até o Canadá, onde é considerada espécie vulnerável à extinção local, devido ao avanço da agricultura sobre as pradarias.
Alimenta-se de vários animais e usa estratégias de caça diferentes conforme a presa. A estratégia mais comum é caçar insetos andando, pulando ou com vôos curtos a partir do chão, próximo à toca. Para caçar presas maiores fica empoleirada em cercas ou grandes cupinzeiros e ``mergulha´´ sobre a vítima. Os filhotes, que vão de 2 a 6, são criados nas tocas. Quando perturbados emitem um som que lembra o de uma cascavel, espantando assim seus predadores. Na época de reprodução os pais tornam-se agressivos, investindo contra qualquer animal que se aproximar da toca, seja ele um cachorro, gato ou até mesmo um ser humano.

Um comentário:

  1. Estou triste, poque já faz uns oito anos que perto do curral do meu sitio havia várias coruginhas destas, mas apareceu por lá um gavião carijó e as comeu todas, as aves de lá estão sumindo, depois q este gavão por lá apareceu, me ajudo, como faço para ele sumir de lá...
    abraços

    ResponderExcluir

Sejam bem vindos!
Deixe seus comentários e sugestões
Obrigado!!!

"O direito, legalizado, de alguém criar pássaros para serem criados em gaiolas, seja para deleite ou preservação, não suplanta o meu de desejar ver todos eles livres."
[AluiZio Derizans]