Camisetas Femininas Ecologicas em Devorê

insta-seguir2

Pintassilgo da Cabeça Preta [Carduelis magellanica ictérica]

>>>Mais fotos<<<
Ouça seus cantos





























Distribuição: Regiões Centro, Sudeste e Sul do Brasil. Postura: 3 a 5 ovos. Habitat: Matas abertas, campos e, às vezes, proximidades de habitações. Tipo de ninho: Em forma de taça. Aceitam perfeitamente ninhos de corda de 8,5 cm de diâmetro. Incubação: 13 dias. Fêmeas e jovens: As fêmeas identificável pela ausência do preto na cabeça. Os jovens machos com poucos meses já apresentam pintas na cabeça. Comportamento e reprodução: Espécie bastante famosa pela beleza e canto. Territorialista, deve permanecer apenas um casal por recinto. São pássaros frágeis que adoecem com muita facilidade. Gostam de construir seu próprio ninho.

Este famoso cantor, o Carduelis magellanica, também conhecido como Black-Headed Siskin ou Black-Headed Goldfinch, está difundido em doze países da América do Sul, apenas não são encontrados na Guiana Francesa e Suriname. É um pássaro cujo tamanho é de onze até treze centímetros, dependendo da sub-espécie. O macho tem as partes inferiores, baixo dorso e nuca amarelas; alto dorso amarelo esverdeado; cabeça, asas e Caudas negras. Asas e Caudas com marcações amarelas típicas do gênero. Bico e pernas negro acinzentados. A fêmea, muito parecida ao macho tem as cores menos acentuadas, principalmente na cabeça. Os filhotes são semelhantes as fêmeas, mais esverdeados e de bico negro. São facilmente reconhecidos pelo vôo ondulante e pelas faixas amarelas nas asas, quando pousados geralmente estão incessantemente cantando. É comum serem observados junto a plantações de coníferas, acima de mil e quinhentos metros, em bandos de 20, 50, 100 ou mais indivíduos, também é comum vê-los em campos abertos, restingas (litoral), bordas de mata e áreas de agricultura. Em vida natural, onde há o Picão – Bidens pilosa e o Assa Peixe – Vernonia sp. em floração, é quase certo encontrar estes passarinhos por lá, são fissurados pelas sementes verdes destas plantas. Quando em época de reprodução, os bandos agrupam-se em pares a fim de procriar e tornam-se territorialistas.
Dentre as espécies do gênero Carduelis, a magellanica é a que possui mais sub-espécies, onze no total: alleni (Brasil, Bolívia, Paraguai e Argentina), icterica (Brasil e Paraguai), longirostris (Brasil, Venezuela e Guiana), santaecrucis (Bolívia), capitalis (vive nos Andes, Colômbia, Equador e Peru), paula (Equador e Peru), boliviana (Bolívia), magellanica (Uruguai e Argentina), peruana (Peru), tecumana (Argentina) e urubambensis (Peru e Chile). As variações entre estas sub-espécies podem ser notadas no tamanho e padrão de cores dos pássaros, por exemplo, o Pintassilgo Goianinho - Carduelis magellanica alleni, que vive na região central do Brasil, é menor e mais amarelo que o Pintassilgo do Sudeste - Carduelis magellanica icterica. O Pintassilgo de Roraima - Carduelis magellanica longirostris é grande e possui o bico longo tal como um Pintassilgo Português - Carduelis carduelis.
Atualmente, pássaros nascidos em cativeiro com o canto “Metálico” ou “Corrida Metálica” têm sido muito procurados e valorizados. Também têm sido procurados para o cruzamento com a Canária do Reino (Serinus canaria domestica) para a obtenção de mestiços de canto.

fonte(texto)(site):Conteudo animal
(audio):xeno-canto
(foto):Dimas, tirada em São Luis do Paraitinga SP

9 comentários:

  1. parabens pelo trabalho muito bonito,Eu tanbem acho que passarinhos tem que viver solto na natureza mas infelismente,venenos na lavoura e canaviais, matam muitas aves. fora os contrabando de nossa aves e animais

    ResponderExcluir
  2. Quando eu for para o brasil,for me informar com o ibama e vou criar essa raca que amo......... tenho dois aqui em casa nos estados unidos que sao do peru.Vou criar essa raca no brasil.

    ResponderExcluir
  3. gostaria de dizer que na bahia regiao de barra da estiva chapada diamantina tinha muitos pitassilgos mas ja desapareceram quase todos devido o uso de agrotoxicos que os agricutores jogam para matar omato eles comem a semente e morrem e uma pena que ningem fais nada

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo trabalho, para nos mostrar essa belíssima ave. Existem pintassilgos presos em gaiolas, mas prefiro vê-los soltos na natureza. Em Atibaia/SP, há muito tempo atrás existiam vários bandos de pintassilgos, que voavam livremente pelos arbustos comendo suas sementes. A maioria dos pintassilgo eram fêmeas. Atualmente, às vezes aparecem alguns casais...

    ResponderExcluir
  5. Na serra da Ibiapaba no Ceará não são vistos há mais de 20 anos.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. eu gosto muito desse pássaro ..

    ResponderExcluir
  9. Lindo pombal brancas pombas
    Que poisam à nossa beira
    As aves querem-se livres
    E as rosas presas à roseira.

    Perdoem-me, mas esqueci o nome do Poeta.

    ResponderExcluir

Sejam bem vindos!
Deixe seus comentários e sugestões
Obrigado!!!

"O direito, legalizado, de alguém criar pássaros para serem criados em gaiolas, seja para deleite ou preservação, não suplanta o meu de desejar ver todos eles livres."
[AluiZio Derizans]